(I Corintios 12:10) - E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas. Eu recebi o batismo no Espírito Santo, ou plenitude do Espírito, como prefira, no ano de 2001. Tudo foi maravilhoso, aprendi antes que esse milagre é uma promessa para todo salvo e comecei a orar pedindo ao Senhor que ocorresse. Aconteceu numa virgília na igreja onde congrego, o sinal foi o dom de línguas que recebi naquele momento. Dias se passaram e eu falava em línguas muitas vezes durante as minhas orações e me sentia cheio de Deus, daí comecei a pedir ao Senhor para entender o que Ele estava usando meus lábios para falar. Não foi de imediato que o Senhor atendeu à minha oração, levou um certo tempo, pois as coisas de Deus não são em nosso tempo e sim no tempo de Deus. Mas chegou um dia em que sonhei que corria num lindo bosque, lá enquanto corria sentia o vento em meu rosto e no meu ouvido direito, comecei a ouvir uma voz que falava na língua dos anjos e no ouvido esquerdo simultaneamente uma voz me interpretava em português o que ouvia no outro ouvido. Desde então acordei e o Senhor começou a interpretar para mim as línguas estranhas. Esse dom é muito útil na obra do Senhor, mas não tenho na carne esta capacidade, o Espírito só interpreta para mim aquilo que Ele usa alguém ou u mesmo para falar, e que seja útil para a Igreja, para alguém da Igreja, ou para mim mesmo. Para usá-lo é necessário dependência do Senhor, bem como para tudo devemos depender unicamente do Senhor.